Santo: São Vicente de Paulo

By | 16/09/2016

São Vicente de Paulo (Pouy, 24 de abril de 1581 — Paris, 27 de setembro de 1660) foi um sacerdote católico francês, declarado santo pelo Papa Clemente XII em 1737. Foi um dos grandes protagonistas da Reforma Católica na França do século XVII.


Era filho de João de Paulo e Bertranda de Morais, camponeses profundamente católicos e de prole numerosa. Desde cedo destacou-se pela notável inteligência e devoção. Fez seus primeiros estudos em Dax, onde após 4 anos, tornou-se professor. Isto lhe permitiu concluir os estudos de teologia na Universidade de Toulouse. Foi ordenado sacerdote em 23 de setembro de 1600.

Ao retornar de uma viagem a Marselha, em 1605, o navio em que se encontrava foi atacado por piratas turcos. Vicente sobreviveu ao ataque, porém foi feito prisioneiro. Os turcos o conduziram à Túnis, onde foi vendido como escravo.

Inicialmente comprado por um pescador, posteriormente por um médico e por último por um francês de Nice, que renegara a fé católica para escapar do cativeiro, tornando-se muçulmano. Seu novo senhor tinha uma esposa árabe que ficou muito impressionada com a fé demonstrada por Vicente. A convivência faz com que o renegado se arrependesse da apostasia e decidisse fugir para a França com Vicente, em 1607.

São Vicente de Paulo

Ao retornar, o francês arrependido dirigiu-se a Avignon, onde vivia o Núncio Apostólico, Monsenhor Montorio. Diante do Núncio, o renegado foi reintegrado à Igreja Católica, entrando para o Mosteiro da Congregação dos Irmãos da Caridade. Tal fato impressionou o Núncio, que decidiu levar Vicente a Roma, onde ele atraiu a atenção do Papa Paulo V e do Embaixador da França, François Savary de Brèves.

Em 1608, foi-lhe confiada uma missão confidencial junto ao Rei Henrique IV de França. Para recompensá-lo, foi nomeado capelão da rainha Margarida de Valois, a Rainha Margot. Durante este período, cursou licenciatura em Direito Canônico.

Após o assassinato de Henrique IV de França em 1610, Vicente passou um ano na Sociedade do Oratório fundada pelo Cardeal Pierre de Bérulle. Em 1612, assume a paróquia de Clichy, no subúrbio de Paris, onde permanece por um ano. A seguir, foi nomeado pelo Cardeal de Bérrule preceptor dos filhos do Comandante em Chefe da Esquadra Real, o senhor de Gondi.

Posteriormente recebeu a missão de ser cura da paróquia de Chântillon-Les-Dobes, em Lyon, que se encontrava em estado de grande abandono. Reconstruiu a igreja em ruínas, restabeleceu o culto e organizou a assistência aos mais necessitados. Estas seriam marcas que imprimiu ao seu apostolado ao longo da vida.

Em 1617 retorna a Paris, reassumindo a missão junto aos Gondi. A Mme. Gondi o encarregou de ser capelão das propriedades da família, onde viviam 12 mil camponeses. Vicente reuniu em torno de si um grupo de sacerdotes dispostos a se entregar a esta tarefa e, junto com eles, organiza as missões populares. Esta seria a nascente Congregação da Missão.

Também foi nomeado Capitão Geral das Galeras Reais. Naquele período, a Marinha francesa estava em expansão e para resolver o problema da mão-de-obra necessária para o remo, era costume a condenação às galés por delitos comuns. Vicente empenhou-se nesta missão, lutando por mais dignidade para estes prisioneiros, que viviam em condições sub-humanas.

Para organizar estas tarefas, reúne em torno de si sacerdotes dispostos a segui-lo. Era o nascimento da Congregação da Missão. Para tal, contou com o apoio financeiro e material da senhora de Gondi e do Arcebispo de Paris. A missão principal da congregação nascente seria o apostolado entre os camponeses e os trabalhadores das galeras. Posteriormente, cuidaria também da formação dos futuros padres, através da organização de seminários pelo país.

Morreu em Paris em 27 de setembro de 1660. Mesmo após sua morte, São Vicente continuou a inspirar a criação de várias outras obras de caridade, como a Sociedade de São Vicente de Paulo (fundada em 23 de abril de 1833).

Obras:


Funda sucessivamente diversas congregações:

* Em agosto de 1617 funda as Damas da Caridade, hoje conhecidas como Associação Internacional de Caridades – AIC.
* Em 8 de dezembro de 1617 cria as Confrarias da Caridade.
* Em 17 de abril de 1625 funda a Congregação da Missão, cujos membros são conhecidos como padres Lazaristas, ou padres vicentinos.
* Em 29 de novembro de 1633 funda a congregação das Filhas da Caridade.

Canonização:

A sua canonização ocorreu em 16 de junho de 1737, pelo Papa Clemente XII. Em 12 de maio de 1885 foi declarado, pelo Papa Leão XIII, patrono de todas as obras de caridade da Igreja Católica.

Oração dos Necessitados à São Vicente de Paulo

São Vicente, que tanto vos compadecestes dos pobres, eu vos peço, olhai para mim!

Sou pobre. Estou passando necessidades.

O dinheiro é curto e nunca chega para comprar tudo o que necessito.

Precisaria comprar mais comida, mais roupa, trocar meus sapatos velhos, falta roupa de cama, seria necessário comprar algumas telhas para tirar as goteiras da casa e algumas matajuntas para fechar as frestas por onde passa o vento frio do inverno. Tomo chá, porque não comprar remédio.

São Vicente! Sou Pobre, mas tenho fé! Há gente mais pobre do que eu: são aqueles que não tem fé; porque esses têm a alma vazia.

São Vicente, conservai minha riqueza, que é a fé; mas eu vos peço, aliviai também minha pobreza.


Ajudai-me a adquirir ao menos o necessário para me alimentar bem, para me vestir honestamente e comprar os remédios que me conservam a saúde e as forças necessárias para fazer os meus trabalhos e cumprir as minhas obrigações e assim poder ser útil à minha família e a todos os que precisarem de minha ajuda.

Amém.

Oração a São Vicente de Paulo contra a Pobreza

Sinal da cruz.

Deus Senhor Nosso, que ao Bem-aventurado Vicente de Paulo concedestes o privilégio de imitar os Vossos divino mistérios, assim falastes pela boca do rei Davi: “Aos pobres de Sião saciarei de pães; seus sacerdotes vestirei de graça saudável, em alegria exultarão seus santos”.

Glorioso S. Vicente de Paulo, vós que fostes na terra a personificação da caridade divina, dignai-vos atender á prece que vos dirige este fiel devoto. Pelos vossos méritos alcançai de Nosso Senhor Jesus Cristo o perdão dos meus pecados.

Sede propício, S. Vicente de Paulo, obtendo do Altíssimo, pela vossa intercessão, a graça de nunca faltar pão à minha mesa e de serem afastadas de mim as aflições dos que passam necessidades.

Rogo-vos obter a tranquilidade na aquisição do meu alimento, do meu vestuário da minha habitação, a fim de que seja sempre manifesta no mundo, a vossa caridade e os vossos méritos perante o Altíssimo.

Assim seja.

Rezar 1 Credo, 1 Pai Nosso e 1 Ave Maria.

Compartilhe com seus amigos!
FacebookTwitterGoogle+Pin ItEmail

Comente e Compartilhe com seus amigos!

Comentários